Moldados pelo que medimos

Na rodovia, o caminhoneiro fazia loucuras para chegar no horário.

Na cidade, no mesmo dia, o motoqueiro passava voando entre os carros.

Nos tornamos aquilo que medimos. Se a nossa medida é o tempo, vamos correr contra o relógio. Precisamos medir outras coisas. Precisamos criar outros incentivos.

Podemos ficar nesse exemplo das entregas: transformamos a logística em um negócio perigoso, insalubre. Talvez você tenha a sorte de não ter um trabalho orientado unicamente pelo prazo. Mas você faz parte dessa loucura, pois está andando na mesma pista dessa corrida.

Quer ver os motociclistas alucinados do globo da morte? Não é preciso ir ao circo. É só diminuir o prazo de entrega.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s