Definido pelo erro

O motorista matou uma pessoa porque se distraiu no Whatsapp. Ele foi preso. Justo, né?

Também acho. Mas por outro lado, ele foi o azarado que errou justamente quando havia alguém atravessando a faixa de pedestres. Afinal de contas, todos nós estamos dirigindo distraídos.

“O presidiário”: agora ele é assim definido, em função do erro que cometeu.

Nós classificamos as pessoas assim também no dia a dia. Pegamos o principal fato negativo e com ele rotulamos. É uma prática comum também no trabalho: em geral é assim que demitimos. Um erro, e então fazemos justiça.

Isso também é justo? Ou melhor: é coerente?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s