Ser X para fazer Y

Quando eu percebi, eu estava pensando assim: 

“Quando eu for X, daí sim eu vou começar a fazer Y.”

É muito fácil esquecer que, em muitas situações, para fazer Y não é necessário ser (ou ter) X. E assim, a ausência de X se torna uma boa desculpa para continuar parado.

E o mais grave: em muitas situações acontece o contrário: é preciso fazer muito Y para poder se tornar X.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s