Responsável pelo ótimo

Falei há alguns dias sobre a decisão de ser bom ou ótimo. Se é melhor ter algo feito ou buscar por algo perfeito – e correr o risco de, digamos, perder o prazo.

Nesse dilema complexo, percebe-se uma possível atitude de quem resolve ser ótimo: preocupar-se com a forma com que o cliente, digamos, está usufruindo o que você vendeu. A forma que o que você entregou faz ele ser melhor, ou que ajuda a gerar a mudança que ele busca. Quem constrói algo ótimo, nesse sentido, assume responsabilidade pelo que vem depois da transação comercial.

Ou seja: “algo ótimo” pode não ser tanto o resultado da produção, mas sim o tempo e a atenção dedicados ao relacionamento construído.

Optar por ser ótimo, então, também pode ser a opção de não vender, de não entregar. Ou um relacionamento duradouro será construído, ou melhor nem dedicar tempo e esforço a algo que vai ser, no máximo, meia boca.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s