Conformado com a incerteza

Ouvi alguém vangloriando as próprias crenças de uma forma inconveniente.

Na hora fiquei irritado. Mas logo passou e fiquei com pena – e senti certa nobreza em mim. Esse sentimento de pena eu considerei o auge da empatia.

Mas não era. O auge, creio, é o próprio ponto de partida: lembrar que nem eu nem ninguém tem certeza de que essa pessoa esteja errada. Vai que é assim, dessa forma que ela acredita, que o mundo realmente funciona? É improvável, é inverossímil, mas não é impossível.

Quanto mais experiente você fica, mais você diz “talvez”, “pode ser”, “não sei”. Ou então fica quieto e incomodado, depois com pena, e enfim conformado com a incerteza.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s